medicina-dengue-aedes-aegypti-20140219-008-originalO combate ao mosquito aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya, voltou a ser intensificado em todo município de São Gonçalo. Nesta quinta-feira (07), agentes de endemias da Vigilância Ambiental estiveram no bairro Boaçu, onde realizaram visitas domiciliares com trabalho focal em locais com água parada e trabalho de pulverização com carro fumacê para o bloqueio químico do mosquito aedes aegypti.

Morador do bairro há 55 anos, o aposentado Manuel Nunes Ribeiro, 84, procura focos do mosquito uma vez por semana em seu quintal. Segundo ele, ninguém de sua família teve doenças causadas pela picada do mosquito.

“O cuidado começa em casa. Se você se previne não precisa remediar depois. Todo cuidado é pouco quando se trata deste mosquito que não escolhe idade, é do mais novo ao mais velho”, explica.

De acordo com o coordenador de vetores, Adauto Galvão, as ações visam o quantitativo de notificações de dengue no bairro e os profissionais eliminam criadouros para interromper o ciclo de vida do mosquito.

O verão é a estação do ano mais propícia para a reprodução do mosquito aedes aegypti. Este aumento se deve ao tempo quente aliado as chuvas de verão, época considerada ideal para o desenvolvimento das larvas e a proliferação do mosquito, que demora cerca de nove dias para se tornar adulto.

1Dados da secretaria municipal de Saúde apontam que de janeiro a dezembro de 2015, foram notificados 2.420 casos de dengues na cidade. Até o início desta semana, 1.021 pessoas tinham sido notificadas com Zika, destas, 64 são gestantes. Os bairros de São Gonçalo com maior incidência da doença são Itaúna, Trindade, Almerinda e Jardim Catarina. O disque-dengue municipal funciona na Ouvidoria da secretaria de Saúde no número 0800 022 6806.

fonte: Prefeitura de São Gonçalo

Comentários

comentários

Categoria

Notícias

Deixe uma resposta