Na última terça feira a coluna do Ancelmo Gois me chamou atenção com uma notícia bastante relevante no âmbito artístico: o projeto carioca, Casa dos Músicos. Comentado desde 2012, contou com a realização de uma audiência pública no mês de maio, na Alerj. A discussão do projeto foi colocada em pauta e contou com a apresentação e defesa de apoios e engajamentos da classe musical.  No final da audiência uma grande vitória foi anunciada: a prefeitura da cidade do Rio de Janeiro cederá terreno para a construção da sede do projeto.

Fundada por 25 músicos de diversos segmentos e residentes no estado do Rio de Janeiro, a Casa do Músico é uma associação que tem como finalidades principais ampliar o mercado de trabalho para o músico brasileiro, promover a defesa e ampliação de seus direitos, assim como realizar projetos e acolhimento e auxílio aos músicos profissionais, em situação de risco e abandono.

Liderado por artistas como Alcione, Sandra de Sá, Ivan Lins, Wagner Tiso, Frejat e Téo Lima, pretende criar um espaço autossustentável que promova e ampare o músico profissional. Com isso, a casa deverá ter uma agenda permanente de shows e concertos. Ela vai funcionar nos imóveis do número 96 ao 110 da Rua Haddock Lobo, no Rio Comprido, pertinho do viaduto sobre a Av. Paulo de Frontin. O terreno, cedido pelo prefeito Eduardo Paes, tem 480 metros quadrados. A casa terá 12 pavimentos, garagem no subsolo, auditório com 144 lugares e um terraço com jardim. Agora, os artistas buscam patrocinadores para custear as obras.

Estou torcendo para que as obras deem início o mais rápido possível e surjam patrocinadores dispostos a custeá-la de verdade. Com o fechamento da tradicional casa de show Canecão a noite carioca ficou mais triste e silenciosa. A UFRJ arrendou o espaço, que era seu por direito, porém o local ficou abandonado, não contribuindo para a área educacional e muito menos entretendo a população. Queremos fazer barulho, agitar a cidade maravilhosa de uma forma positiva, abrilhantá-la, alegrá-la e fundamentalmente, valorizá-la. O Rio de Janeiro está precisando de um espaço como esse, que valorize a música popular brasileira e que permita a população ter acesso ao acervo musical da sua cidade. Eu, como uma carioca nata, fico na torcida para um Rio mais diversificado culturalmente.

Texto escrito por: Natália Machado

Comentários

comentários

Categoria

Notícias

Deixe uma resposta