x78359642_US-Defense-Secretary-Jim-Mattis-reviews-the-honor-guard-on-his-arrival-at-the-Ministry-of-D.jpg.pagespeed.ic.zD5Z3UsTvKWASHINGTON, 14 de agosto de 2018  – O secretário de Defesa, James N. Mattis, disse que os Estados Unidos estão tentando aprofundar as relações com os parceiros do hemisfério.

A secretária disse aos estudantes da Escola de Guerra do Rio de Janeiro que os Estados Unidos “ganharão sua confiança diariamente. Queremos ser seu parceiro; especialmente se o problema se aproxima.

Esta é a primeira visita de Mattis à região como secretária. Ele disse aos estudantes que ele implantou muitas vezes em sua carreira e nunca esteve em um campo de batalha em uma única formação norte-americana. Os Estados Unidos buscam aliados e buscam aumentar a cooperação entre os parceiros.

“Nossas línguas nativas podem ser diferentes, mas quatro décadas de serviço militar me persuadiram de que a profissão de armas tem uma linguagem própria e uma maneira de transformar estranhos em família”, disse Mattis.

Mattis descreveu seu trabalho para os oficiais brasileiros, dizendo que ele é um conselheiro do comandante eleito em chefe. Ele fornece opções militares ao presidente e fornece supervisão civil dos militares americanos.

Soluções de trabalho

“Sabe qual é o meu verdadeiro trabalho?”, Perguntou ele aos oficiais. “Meu trabalho real é tentar manter a paz por mais um ano, mais um mês, mais uma semana, mais um dia, enquanto os diplomatas tentam encontrar uma solução para problemas muito difíceis.” Ele também descreveu as linhas de esforço no Departamento de Defesa. A primeira é aumentar a letalidade dos militares americanos. “Quero que qualquer adversário saiba que é melhor lidar com nosso secretário de Estado e nossos diplomatas”, disse ele. “Eles não querem lidar comigo e com meus soldados, marinheiros, aviadores e fuzileiros navais.” Outra linha de esforço é fortalecer e ampliar as relações dos EUA com os aliados. “É simples: nações com aliados prosperam; nações sem aliados não sobrevivem ”, disse Mattis.

O motivo de sua viagem à região é incentivar a parceria. O secretário irá ao Indo-Pacífico no próximo mês e na Europa depois disso, disse ele. “Isso não é algo que você liga um dia, entra, faz um discurso, sai e depois esquece”, ele disse. “Deve ser sustentado.” Confiança é a moeda para esses relacionamentos. “Ao falar com altos funcionários dos EUA, eu digo a eles que precisam aprender a construir harmonia”, disse Mattis. “Se eles não podem construir confiança através das linhas nacionais, através de linhas militares, linhas de serviço conjuntas, linhas civis e militares, se eles não podem construir confiança e harmonia de operações, então sua liderança… está obsoleta e eles devem ir para casa, pois não tenho uso para eles.”images

Ouvindo aliados

Mattis disse que os líderes seniores devem ouvir os líderes aliados e estar preparados para seguir seus conselhos. “A nação com a maioria dos porta-aviões não está sempre certa”, disse ele. Líderes militares seniores dos EUA buscam um hemisfério colaborativo e seguro, “em que individual e coletivamente mantemos a consciência situacional em todos os domínios”, disse ele. Os parceiros devem compartilhar informações com os vizinhos porque as prioridades hemisféricas devem ser abordadas em conjunto, disse o secretário. Os Estados Unidos e o Brasil são parceiros de longa data. O Brasil lutou ao lado de membros do serviço dos EUA na Segunda Guerra Mundial e continua a servir ao lado deles hoje. Mattis está pessoalmente empenhado em fortalecer o relacionamento militar-militar entre os EUA e o Brasil. “Juntos, buscamos fortalecer nossa parceria estratégica cooperativa que é transparente, confiável e estável”, disse ele. “Eu vejo um futuro brilhante à frente para o Brasil e nosso hemisfério”.

 

fonte http://www.southcom.mil/MEDIA/NEWS-ARTICLES/Article/1602656/mattis-seeks-to-deepen-relations-with-south-american-partners/

 

Comentários

comentários

Categoria

Notícias

Deixe uma resposta