As areias das praias do Arpoador, Pepê (Barra da Tijuca) e parte de Ipanema e Copacabana estão entre as 10 mais sujas da orla carioca. Um levantamento feito pela prefeitura mostra que, em 2014, muitos trechos e areias ficaram impróprios devido à contaminação por fezes de animais, restos de comida e outros detritos deixados pelos próprios frequentadores.

Fica em evidência que os banhistas não preservam um dos cartões postais da cidade que são as nossas belas praias. Deixar lixo nas areias, levar o animal para a praia e não recolher a sujeira é não ter consciência coletiva com os demais banhistas. Se for à praia leve seu saco plástico, recolha o lixo ao sair e respeite o próximo, pois uma areia contaminada pode causar muitos males à saúde, sem contar com os vários tipos de infecções.

Com o objetivo de conscientizar a população que frequenta as praias da cidade, da necessidade de manter as praias limpas, evitando a propagação de doenças e preservando a fauna marinha foi lançado no dia 20 de janeiro, entre os postos 7 e 8 de Ipanema, na zona sul do Rio de Janeiro o Movimento Praia Viva.

O movimento aproveita a data de 20 de janeiro, dia de São Sebastião, padroeiro da cidade, para traçar um paralelo com a proximidade das comemorações pelos 450 anos da cidade maravilhosa. Promover por mais 450 anos de praia, sem lixo. A iniciativa é da Associação Brasileira de Lixo Marinho (ABML) e da Casa Viva Eventos.

Nesse primeiro mutirão, além do lançamento oficial do Movimento Praia Viva, os organizadores deixaram no ar e realçaram a pergunta mote da campanha: Você quer mergulhar no mar limpo ou no lixo?

Segundo os organizadores, a proposta é de simples compreensão: conscientizar as pessoas da necessidade de mudar de vez este quadro. O Movimento Praia Viva acontecerá ainda nos dias 28 de fevereiro, 1º, 7 e 8 de março, quando estarão previstas ações de coleta seletiva, oficinas e contadores de história, que irão trabalhar durante quatro dias para começar a mudar a cultura do abandono do lixo marinho nas praias.

293688_402914906461146_1184657078_nUma das oficinas programadas vai ensinar os participantes a produzirem pranchas de surf com garrafas PETs. A ideia é que essas pranchas sejam usadas em uma ação de limpeza do mar no último final de semana do projeto.

O objetivo final do Movimento é chamar a atenção dos usuários das praias, com atitudes práticas, para a necessária e inadiável mudança de hábitos e cultura da sociedade para o não abandono do lixo na praia, e multiplicar essa comunicação direta através da mídia, buscando a conscientização de todos sobre sua responsabilidade pelos resíduos que geram.

 

 

Texto escrito por – Natalia Machado

 

Comentários

comentários

Deixe uma resposta