Na penúltima sexta-feira(22/11), Nikiti, a CIDADE SORRISO, assoprou 440 velinhas, e as comemorações por tão expressiva data vêem acontecendo desde o primeiro dia de novembro que ontem tirou licença prêmio por um ano.

Xonado como sou pela terra fundada pelo índio Araribóia, marquei presença em algumas delas, como, por exemplo, exposições, show da Banda Black Rio (Teatro Popular Oscar Niemeyer); 5ª. Viva Zumbi (Espaço Cantareira), Modinhas Imperiais e Concerto Lírico(Solar do Jambeiro), Orquestra de Cordas da Grota em Patrimônio(Teatro Municipal), show com Geraldo Azevedo (Teatro Popular Oscar Niemeyer), Romeu e Julieta(Cia de Ballet de Niterói)na Praia de Icaraí e, na mesma e bela praia, a qual me refiro como miniatura da de Copacabana, o show de Maria Rita, lindo e comovente como, quando no momento em que ela fez menção à sua mãe Elis Regina, suas lágrimas se juntaram à chuva fina que insistiu em não dar trégua, o que, na verdade, deu um toque maior de romantismo ao espetáculo.

Curiosidade: Niterói só perde para Brasília em número de obras do grande Niemeyer, das quais, assim de repente, destaco o MAC – Museu de Arte Contemporânea que, no alto do Morro da Boa Viagem(Ingá) é uma perfeita réplica de um disco voador. Quando iluminado, é uma loucuuuuuuuuura.

Naicando em idade, diante de Niterói, São Gonçalo (outra paixão de minha vida), que só perde em população para o Rio em terras fluminenses, pode-se NAICAR que ainda está engatinhando, já que só tem 123 aninhos que foram completados em 22 setembro. Se continuar no ritmo de progresso que o atual prefeito Neilton Mulim vem lhe injetando, ninguém a segura mais.

 

Texto escrito por Naico

Comentários

comentários

Categoria

Notícias

Deixe uma resposta