Quem pensa que as crianças só pedem bonecas, carrinhos e bolas na cartinha para o Papai Noel está muito enganado. A geração Y tem contagiado os gostos da criançada de uma forma a atingir até mesmo os presentes de natal. “Nos últimos anos tem aumentado muito os pedidos de eletrônicos como celular, computador, videogame e tablets”, relata o “Papai Noel” que participa da campanha na sede dos Correios em São Paulo. “Eles querem estar antenados, mas esses presentes são aqueles que geralmente demoram mais a serem adotados. Os mais simples, como roupa, material escolar e alimento são sempre os primeiros”, afirma.

Na campanha dos correios desse ano eles entregam gratuitamente os presentes além de trabalharem com adoção de pedidos.Além disso,viabilizam a “adoção” das cartas por pessoas, com empresas e entidades interessadas em ajudar.Tiveram cerca de 80 mil pedidos registrados apenas na Região Metropolitana de São Paulo. Até agora, por volta de 33 mil cartas já foram atendidas.

As crianças pós-modernas, também conhecidas como geração z, nascidas entre 1990 ate 2010 estão inseridas no “boom” na criação de aparelhos tecnológicos. A grande nuance dessa geração é zapear, daí o Z, da geração Z. Em comum, essa juventude muda de um canal para outro na televisão. Vai da internet para o telefone, do telefone para o vídeo e retorna novamente à internet.

Meninos e meninas dessa geração, em sua maioria, já nasceram inseridos no universo virtual de computador, chats, telefone celular. As pessoas da geração Z não tiveram contato com o mundo sem tecnologia, Já as da geração Y se deslumbram com mais facilidade com os equipamentos eletrônicos, por não terem nascido nesse meio. O desafio para as crianças dessa geração é encontrar graça e ver atrativos em brinquedos que não são de natureza tecnológica. Faze-lo sair desse meio de vídeo game, tablet e celular é o grande desafio do momento.

Devemos perceber que o entretenimento não se baseia apenas em jogos dessa ordem, mas sim em fontes de proveniências diferenciadas. Não menos relevantes, esses tipos de brinquedo (manuais), aguçam a imaginação da criança e a permite brincar com mais liberdade sem a preocupação de ser um equipamento eletrônico.

Texto escrito por: Natalia Machado

 

 

Comentários

comentários

Categoria

Notícias

Tags:

Deixe uma resposta