transTermina hoje, 30/06, a perfuração da primeira etapa do túnel da via TransOceânica, em Niterói. Na sexta-feira, 01/07, às 15h, o prefeito Rodrigo Neves, ao lado de várias lideranças da cidade, atravessará a pé os 1.350 metros de extensão da galeria no sentido Charitas-Cafubá, que vai se chamar Luís Antônio Pimentel, em homenagem ao jornalista e historiador que faleceu no ano passado.

A segunda galeria do túnel no sentido Cafubá-Charitas, que receberá o nome do ex-prefeito João Sampaio, falecido em 2011, deverá ser concluída até setembro deste ano e terá a mesma extensão da primeira. A abertura do túnel para o tráfego de veículos nos dois sentidos está prevista para dezembro.

A TransOceânica é a maior obra viária da cidade desde a inauguração da ponte Rio-Niterói, em 1974. Com 9,3 km de extensão, a via passa por 11 bairros e, quando concluída, vai beneficiar quase 80 mil pessoas por dia. Não haverá cobrança de pedágio.

A obra terá um papel importante na mobilidade de Niterói: além de 13estações de ônibus BHLS, contará com ciclovia e estará integrada à estaçãodo catamarã de Charitas. No sistema BHLS (Bus High Level Service), osônibus têm ar-condicionado, portas dos dois lados, circulam em faixasexclusivas e os passageiros pagam a passagem no terminal, antes de embarcar.

O principal ganho que a TransOceânica vai trazer para Niterói será no trajeto entre a Região Oceânica e a Zona Sul, reduzindo o tempo e a extensão pela metade. Hoje, os 18 quilômetros que separam as duas regiões são percorridos em uma hora. A obra tem custo de R$ 310 milhões,financiados com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento, doGoverno Federal (R$ 292 milhões); e da Prefeitura (R$ 18 milhões).
passageiros-1024x523Ao todo, a TransOCeânica é formada, além do túnel, poroito trechos de obras. Ainda nesta sexta-feira, será aberto ao tráfego otrecho 4, que liga o DPO à rótula do Cafubá, na Avenida Paulo de MeloKalle. Serão duas faixas laterais exclusivas para moradores da região,enquanto que a pista de concreto do BHLS funcionará provisoriamente emquatro faixas para ônibus e carros.

Também está em obras o trecho 5, que vai do Shopping Multicenter até o DPOdo Cafubá ; o trecho 1, na estação do BHLS de Charitas; o trecho 7, que vai da Avenida Central, em Itaipu,até a altura do Mercado Diamante; e otrecho 8, que compreende toda a Avenida Central até o Engenho do Mato. O trecho 3 encontra-se na fase de desapropriações e topografia e o trecho 6 ainda não começou.

 

Comentários

comentários

Deixe uma resposta