profA partir desta quinta-feira, (01/09), a secretaria de Educação de São Gonçalo inicia um programa de formação para professores da rede com o objetivo de capacitá-los para desenvolver e trabalhar com projetos educativos nas escolas onde atuam.

O curso estimulará o desenvolvimento de projetos em cinco diferentes áreas: leitura, meio ambiente, esportes, cultura e matemática. Os encontros acontecem nesta quinta-feira pela manhã, à tarde e à noite, e no dia 9 de setembro, nos períodos da manhã e da tarde.

Um pouco diferente do modelo clássico do professor na sala de aula, com quadro negro e giz, a secretaria de educação de São Gonçalo está trabalhando com projetos. Na retomada das aulas, neste segundo semestre, queremos propor a intensificação desse trabalho com diferentes atividades educativas, o que tornará as aulas mais atrativas e dinâmicas”, defende o professor Júlio Vidal, coordenador de Projetos Especiais da secretaria.

Para cada área serão apresentados projetos levando em conta ações já existentes nas unidades escolares como o “Projeto Ler é o Maior Barato”, desenvolvido pela coordenadoria de Leitura, que permite aos alunos produzirem textos, crônicas e ampliar o conhecimento sobre determinado autor. Outro exemplo é o da área de Matemática, onde a proposta é adotar atividades que estimulem o raciocínio lógico, passando por jogos matemáticos até a matemática de maior complexidade que irá preparar os alunos para a segunda etapa da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), que este ano acontece em 10 de setembro. Já sobre o tema Meio Ambiente, a ideia é desenvolver com os alunos atividades colaborativas sustentáveis de incentivo à reciclagem e à coleta seletiva

A proposta da secretaria de estimular o trabalho com projetos na sala de aula conta com a parceria de educadores sociais com atuação nas comunidades onde as escolas estão localizadas. A secretaria busca ainda uma parceria com a área de projetos e estágios da Faculdade de Formação de Professores da UERJ para esse trabalho.

Nossa conversa com a UERJ está bem adiantada e será muito importante ter a instituição ao nosso lado. Os projetos também terão a participação dos educadores sociais, por tempo determinado, escolhidos na própria comunidade da escola. Todos criarão projetos e ações dentro das áreas propostas e estruturas construídas pela Subsecretaria de Ensino e Apoio Pedagógico. Podemos observar uma multiplicidade de experiências sendo realizadas e, principalmente, valorizando o dia a dia da escola.

Esperamos que a partir da prática do trabalho com projetos, consigamos, além de uma aprendizagem significativa, transformar um pouco a realidade dos alunos”, conclui Júlio Vidal.

Comentários

comentários

Deixe uma resposta