O ano de 2017 provou ser um dos anos mais divertidos do mundo dos games. Nintendo Switch, ascensão da realidade virtual e uma enxurrada de jogos novos deixaram os jogadores com mais opções do que nunca. Para celebrar o ano que se passou, fizemos uma lista de 50 jogos interessantes que você devia dar uma olhada. Não são só os jogos bons, e ficou faltando muita coisa, mas é para isso que servem os comentários. E a melhor parte é que você pode descobrir um jogo ou outro que possa ter deixado passar com essa lista:

1Fortnite é o produto de uma nova geração de games e de gamers — se PUBG foi responsável por colocar o gênero battle royale de volta no mapa, mas Fortnite pegou essa ideia e implantou em um concorrente à altura. Além deste modo, o jogo da Epic Games também conta com um modo cooperativo de sobrevivência e muita customização de personagens.

2Dead Cells é uma mistura estranha, mas eficiente, dos metroidvania e roguelikes. Funciona assim: você explora um ambiente expansivo e cheio de atalhos, como um metroidvania; a progressão de armas e habilidades, entretanto, é a de um roguelike. Pode parecer bizarro, mas é um daqueles jogos que você joga por centenas de horas sem jamais descobrir tudo.

3Drawn To Death é um jogo de tiro em terceira pessoa multiplayer exclusivo para PS4. O game é feito em um estilo que busca lembrar rabiscos de adolescentes perturbados, e possui uma grande variedade de personagens. Pode não parecer lá essas coisas pela descrição, mas é bem divertido e competitivo — além de ter sido feito por David Jaffe, criador de God of War e Twisted Metal.

4Se você gosta de filosofia, RPGs ou de waifus, Nier: Automata é a agradável união de tudo isso: o jogo é cheio de bizarrices e boas histórias, acompanhados de um sistema de combate excelente, desenvolvido pela Platinum Games, de Bayonetta e Metal Gear Rising: Revengeance

5The Elder Scrolls: Legends é um card game baseado na franquia da Bethesda, e embora não seja nenhum Hearthstone, a campanha single-player é divertida, e o jogo promete muitas atualizações e expansões

6The Binding of Isaac: Afterbirth+ é um dos melhores jogos de todos os tempos, e um dos pacotes mais completos e duradouros que você pode conseguir em qualquer plataforma. 2017 foi o ano no qual o título chegou no Nintendo Switch, e quem tem o híbrido precisa de algum jeito experimentar esse clássico contemporâneo

7Dragon Quest Heroes II é basicamente uma versão maior e melhor do primeiro jogo, que já era um jogo de ação com muita coisa pra fazer e pouco a se pensar — mete a espada nas melecas azuis e não pense no amanhã

8Rain World não é um indie qualquer — trata-se de um metroidvania com animação incrível e uma das atmosferas mais opressivas já vistas num jogo 2D.

9A princípio, ELEX não parece ser um RPG grandioso como Skyrim ou The Witcher III, mas a intenção nunca foi essa; o game da Piranha Bytes tenta assimilar elementos de clássicos de PC, como Gothic e Risen. A melhor parte é que o jogo consegue: desde o mundo que mistura sci-fi com fantasia ao combate rítmico, tudo parece ter vindo de outra época, e pode agradar novas gerações por isso

10Você já imaginou como seria Persona 5 se ele trocasse o estilo pelos clichês? Bem, isso é Akiba’s Beat, um RPG baseado em um dos games mais insípidos da geração anterior: Akiba’s Trip. O game ainda está quero, e a jogabilidade não é muito diferente de RPGs japoneses de PSP, mas é aquela coisa bizarra que todo mundo adora ter na lista de troféus

11Syberia 3 pode não ser o melhor Syberia da série, mas ainda é um adventure muito interessante com uma arte diferente do que se vê hoje em dia. Se você nunca jogou a franquia, pode começar com os dois primeiros no PC ou até no Nintendo Switch
12Quem não gosta de comprar o mesmo jogo múltiplas vezes em versões marginalmente diferentes? Os gêmeos Pokémon Ultra Sun e Pokémon Ultra Moon estão aqui para aliviar o peso da sua carteira, e desta vez, os jogos de 3DS que são vendidos a preço de lançamento oferecem transformações novas e melhorias que fizeram muita falta no primeiro jogo. Agora basta esperar o futuro Pokémon de Switch
13Injustice 2 é uma das coisas boas relacionadas à DC Comics neste ano; além de ter uma maior variedade de personagens do que o primeiro game, o segundo jogo da série tem alguns dos melhores gráficos e animações de 2017. Quem diria que colocar Superman e cia. nas mãos do criador de Mortal Kombat daria tão certo?

01Cosmic Star Heroine é um RPG indie futurista com um estilo gráfico reminiscente de clássicos como Chrono Trigger e Final Fantasy VI (ou III). Pode não soar lá muito original, mas foi desenvolvido pelos caras responsáveis por Breath of Death VII e Cthulhu Saves the World, dois grandes RPGs de sucesso indie

14Será que The Surge é um bom jogo? Há controvérsias. Independente da qualidade, é bom ver que o formato estabelecido pela série Dark Souls está se tornando cada vez mais acessível, até para desenvolvedores que não possuem beta testers
15Lembra de System Shock e de Bioshock? Aqueles jogos ficaram famosos por enredos adultos com um design de fases muito além do que esperávamos nas suas respectivas épocas (com exceção de Bioshock Infinite). O sucessor espiritual chegou, com o reboot de Prey, um game no qual exploração por si só já causa medo e traz uma atmosfera como nenhum outro desse ano
16Quem jogou Bastion e Transistor pode confirmar: a Supergiant Games sabe fazer jogos bonitos. O último título da desenvolvedora, Pyre, não é só um RPG bonito, mas também um excelente jogo de… queimada? Infelizmente não tem modo online, porque é um excelente jogo de esporte. Mais balanceado que muitos games competitivos por aí
17Fire Emblem Echoes: Shadows of Valentia é o remake de Fire Emblem Gaiden, um clássico que ninguém jogou mas todo mundo deveria — quem tem um 3DS precisa comprar esse que é um dos SRPGs mais polidos e completos desta geração. Só perde para XCOM e talvez algum Disgaea
18Tekken 7 pode não ser o queridinho da comunidade de jogos de luta online, mas poucos jogos são tão divertidos localmente: além da ampla variedade de personagens e dos lindos gráficos, o game ainda terá suporte por um bom tempo, e além de Akuma (Street Fighter) e Geese (Fatal Fury), o jogo terá outra nova personagem: Noctis (Final Fantasy XV)
19Todo mundo adora furries. Isso é um fato. Tooth and Tail veio para mostrar que animaizinhos fofos 2D são incríveis até no popular gênero de estratégia em tempo real. Brincadeiras à parte, este é um dos games mais divertidos do ano quando se trata de multiplayer e direção de arte
20

Getting Over It with Bennett Foddy não é um jogo qualquer — é uma experiência. No game, você deve atravessar um mapa expansivo, só que você é um cara musculoso em um caldeirão, e sua única ferramenta é um martelo. É um jogo frustrante, do criador de QWOP, mas vale a pena experimentar
21Todo mundo ama Final Fantasy XIV: A Realm Reborn, mas a mais nova expansão, intitulada Stormblood, conta com uma miríade de novidades, que inclui novas áreas, inimigos, quests e um novo limite de level. Infelizmente, essa expansão marca o fim do suporte do game no Playstation 3
22Crash Bandicoot: N. Sane Trilogy é o tão esperado remake da trilogia que fez da infância de muita gente uma total alegria. Além de gráficos melhorados, os três games contam com certas melhorias no sistema de save, além de uma DLC com uma fase excluída do primeiro jogo
23Valkyria Revolution é uma história bizarra: o game é spinoff de uma das franquias mais respeitadas nascidas na geração passada, e ainda assim, consegue ser um jogo genérico, vazio e sem personalidade. Ainda assim, se você sente falta dos RPGs abobalhados de PS2, isso é quase uma sátira
24Final Fantasy XII: The Zodiac Age é um remaster aguardado por uma boa quantidade de fãs da série: isso porque, depois dele, não tivemos muitos outros FFs com cidades grandes e interativas. Além disso, a história cheia de twists políticos e traições pode agradar a gamers de todas as idades
25ECHO saiu do nada, e não fez muito barulho, mas ecoou entre fãs de jogos stealth. O game, criado por ex-desenvolvedores de jogos da série Hitman, é uma carta de amor a games de espionagem, escrita com gráficos belíssimos e uma ambientação sem igual
26Quem comprou um Nintendo Switch para jogar Splatoon 2 com certeza não se arrependeu (contanto que não goste de Salmon Run): a continuação oferece mais do mesmo, mas de um jeito polido e com partidas mais variadas. O problema é só conseguir matches aqui no Brasil mesmo
27Dragon’s Dogma: Dark Arisen foi relançado de novo neste ano, desta vez para PS4 e Xbox One. Embora essa versão não tenha tantas maravilhas quanto a versão de PC (60fps faz muita falta), todo mundo que não jogou precisa experimentar, mesmo que nesta versão. Basicamente, é um RPG que combina as melhores partes de Devil May Cry, Shadow of the Colossus e Monster Hunter
28Bubsy: The Woolies Strike Back não é um bom jogo. Não é nem mesmo um jogo aceitavelmente ruim. É um reflexo da pós-modernidade em forma de jogo de plataforma inferior a medíocre. Ainda assim, é uma relíquia da nossa era, e um aviso sobre o sombrio futuro
29Kingdom Hearts II.8 Final Chapter Prologue é um belo nome para uma bela coletânea, que vem com um bom filminho, uma excelente demo e um dos piores jogos da franquia. Descubra mais lendo nossos reviews
30Hellblade: Senua’s Sacrifice é um jogo que foi feito para mostrar que indies podem enganar quem quer um jogo AAA. Apesar do game ser curto e não ter um dos melhores sistemas de combate dos últimos anos, a temática e a direção de som o estabelecem como um dos títulos mais ambiciosos dos últimos tempos
31Gravity Rush 2 é uma baita decepção depois da genialidade do primeiro, mas ainda é uma coisa que não se vê todo dia, especialmente na linha de produção AAA da Sony. Dê uma chance — apaixone-se por Kat também
32Rayman Legends finalmente chegou no Nintendo Switch! A Ubisoft não quer fazer mais jogos da série, aparentemente, então o jeito é aproveitar aquele que é um dos melhores games de plataforma 2D dos últimos anos. Confira nosso review
33The End Is Nigh é um jogo do cara que criou The Binding of Isaac e Super Meat Boy. Isso não soa bom o bastante? Então leia nosso review e veja por que este é um dos melhores e mais diferentes jogos do ano de 2017
34Yooka-Laylee pode não ser o melhor jogo de plataforma do ano, tampouco o melhor indie, mas é a prova viva de que é possível ressuscitar um gênero inteiro e deixá-lo moderno, sem perder a personalidade. Leia nosso review do fofíssimo game
35Já virou moda zombar de Mass Effect: Andromeda, mas não vamos cair nessa: se serve de consolo, o jogo barateou muito e continua sendo melhor que Dragon Age: Inquisition. Leia nosso review
36Você já jogou Dark Souls pensando que você queria passar mais algumas dezenas de horas aprendendo como usar cada arma e perdendo mais HP em cada duelo? Se sua resposta é sim e você gosta de mitologia japonesa, Nioh é um jogo absolutamente perfeito para você
37PlayerUnknown’s Battlegrounds é, ame ou odeie, o jogo mais importante de 2017, sem sombra de dúvidas. Mesmo incompleto, ele provou que é sim possível emular o conceito de battle royale de um jeito que faz sucesso. Esse jogo quebrou todos os recordes possíveis e só continua crescendo — e a melhor parte é que ele está abrindo portas para outros experimentos no gênero
38O que dizer de um jogo tão estiloso que criou uma multidão de fãs apenas com poucos segundos de vídeo em uma conferência da Microsoft? Cuphead é lindo, mas não é só beleza — o game tem conteúdo e mostra que game design é atemporal. Mas fique alerta: algumas partes são frustrantes, e nosso estagiário quebrou um notebook na porrada num chilique ocasional. Leia nossas primeiras impressões
39Destiny não foi só um jogo. Foi um marco na vida de muita gente, aparentemente. Já Destiny 2 parece ser um jogo bem melhor, especialmente para novatos. Será que vale a pena investir? Alguns dizem que é melhor esperar uma versão definitiva, mas há algo a se dizer por aproveitar o zeitgeist
40Wolfenstein II: The Old Colossus é um game que mostra como seria a distante fantasia de um mundo no qual nazistas retornam à América e ficam completamente impunes. Apesar de ser bonito, o level design é bem pior que o do primeiro. Leia nosso review e decida por si
41Digamos que você goste de bons RPGs: nem pense. Apenas jogue Divinity: Original Sin II. Pode não ter a melhor história, mas é um daqueles jogos que oferecem liberdade quase absoluta e te permitem experimentar com tudo durante o combate. E eu mencionei que o enredo é extremamente dinâmico e que tem multiplayer? Pois bem.
42Sabe quanto tempo demorou para Yakuza 0 ser lançado aqui no Ocidente? Quase dois anos. A franquia já tem mais de 12 anos, então não te culpo por ter perdido clássicos como Yakuza 3 e Yakuza: Dead Souls. Este game, entretanto, é o ponto de partida ideal, se passando antes de todos os outros games.
43Você gosta de matemática? Bom, não importa, porque Torment: Tides of Numenera não se trata de números, como o título pode indicar: na verdade, é uma continuação espiritual de Planescape: Torment. E o que podemos esperar da continuação de um dos RPGs mais grandiosos e elogiados da história dos games? Bom, basta comprar, apagar a luz e entrar no imersivo mundo proposto pelo clássico moderno
44Considerado por alguns o último grande game do PS3 e um dos essenciais que brindam o console atual da Sony em 2017, a nova entrada de Persona é aguardada há anos pelos fãs do ocidente. Persona 5 é um dos games mais estilosos do ano, e você deveria experimentar, com certeza. Nossos redatores adoraram
45Não é controverso dizer que Super Mario Odyssey é um game espetacular e claramente uma das melhores aventuras do ano, então é melhor nem falar nada. É Mario, é Nintendo, é plataforma 3D. Não tem como dar errado se o nome não for Sunshine
46The Legend of Zelda: Breath of the Wild foi, por alguns meses, a única razão pela qual o Nintendo Switch vendeu muito. Isso é uma coisa ruim? Claro que não. O fato é que esse foi um dos jogos mais importantes e inovadores do ano, e todo mundo que gostar de Zelda devia dar uma chance à mais nova aventura de Link. Até fizemos um review!
47Horizon: Zero Dawn foi tão surpreendente que chegou a parecer um sonho — um jogo open world que basicamente refinava tudo do gênero e se fazia tão prazeroso de jogar, enquanto mantinha uma das melhores histórias de 2017. Nosso review explica ainda mais nosso amor pelo exclusivo da Sony
48South Park: A Fenda que Abunda Força é engraçado, belo, e acima de tudo, balanceado. Além do humor ousado, o que mais nos chamou a atenção foi quão delicioso é lutar contra inimigos neste RPG estratégico. Bastar ler nosso review
49E por último, mas não menos importante (até porque esta não é uma lista com ordem definida), Hollow Knight. O metroidvania indie é uma das coisas mais misteriosas que você terá a experiência de jogar, evocando uma atmosfera similar a clássicos como Super Metroid e Castlevania: Symphony of the Night. Tudo isso a um preço razoável e com um mapa absolutamente colossal.

Comentários

comentários

Categoria

Notícias

Deixe uma resposta