Detalhes

As bolsas de sangue ficam à disposição de todos os hospitais da rede pública municipal e das clínicas conveniadas ao Sistema Único de Saúde (SUS) no município. Somente o Complexo Hospitalar Luiz Palmier, no Zé Garoto, utiliza cerca de 300 por mês. O hemonúcleo gonçalense recebe hoje 25 doadores por dia, quando o número ideal é de 50.

O processo para realizar a doação é simples. O voluntário realiza um cadastro, passa por uma triagem clínica com uma entrevista e inicia a doação, que dura cerca de 10 minutos. O sangue vai para o fracionamento e uma amostra passa por exames laboratoriais obrigatórios para detecção de doenças. Somente após o resultado dos exames, o sangue é liberado para que seja doado.

Só não podem ser doadoras as pessoas portadoras de HTLV (Vírus Linfotrópico da Célula Humana), HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana – Aids), hepatite, doença de Chagas, malária e uso de drogas injetáveis. Homens podem doar quatro vezes por ano e, mulheres, três, com intervalos de 60 e 90 dias, respectivamente. Para ser doador de sangue basta ter entre 16 a 69 anos, pesar mais de 50kg e evitar alimentos gordurosos nas três horas que antecedem a doação.

O Hemonúcleo de São Gonçalo funciona na Praça Estephânia de Carvalho, ao lado do Posto de Saúde Washington Luiz, no bairro Zé Garoto. O horário de doação é de segunda a sexta-feira, das 7h às 12h. Quem tiver dúvidas ou quiser mais informações pode ligar para o número 2605-6047.

Comentários

comentários

Deixe uma resposta