Tivemos um 2014 bastante conturbado, principalmente, no âmbito político. Manifestações, passeatas marcaram este ano. Porém o ano de 2015 vem com uma medida que deixará cariocas e fluminenses revoltados.

Eduardo Paes confirmou o aumento da passagem de ônibus em janeiro de 2015 no Rio de Janeiro. Segundo ele a medida atende ao contrato com as concessionárias e o valor ainda não foi definido e será determinado pelos cálculos da Fundação Getúlio Vargas. O aumento será no começo do mês como é todo ano previsto em contrato. Os usuários dos ônibus intermunicipais também terão que desembolsar uma quantia. O governador Pezão já anunciou o reajuste de 6,56% nas passagens dos coletivos que fazem o serviço. Os governantes informam também que o ano de 2015 será de reequilíbrio, além de ser desafiador.

A questão que está em pauta é se a qualidade dos transportes irá mudar, porque o aquecimento global não para, logo o calor e as temperaturas só aumentam, por isso os transportes públicos deveriam ter o mínimo de conforto para os passageiros, já que o ar condicionado deveria ser algo básico nos ônibus e nem todos tem. Pontos lotados, ônibus sujos, velhos, em péssimo estado de conservação, motoristas irresponsáveis, superlotação, infelizmente, é essa a nossa realidade.

O fato de ter que aumentar a passagem por ser uma medida anual não significa que o aumento tenha que ter vigência. Até porque, neste ano, diante de tantas manifestações, o valor não foi alterado.

Se os governantes nos dizem que o ano de 2015 será crítico, a resposta que damos a eles é que façam um reajuste nos nossos salários, uma revisão nas vias públicas, nos trens que andam sucateados, no metrô que vive com problema no ar condicionado e nos ônibus que não tem o menor conforto para a população. As consequências possíveis são mais manifestações nas ruas e rebeliões contra o governo. Aviso aos leitores que o ano de 2015 começará bem para os cariocas e fluminenses: mais custos, mais insatisfações e a qualidade? Será que teremos?

Texto escrito por Natalia Machado 

 

Comentários

comentários

Deixe uma resposta