camaraFoi aprovada pela Câmara dos Deputados ontem (17), a continuidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rouseff. Com 367 votos favoráveis, apenas 146 votos contra, sete abstenções e duas faltas, o processo agora segue para o Senado Federal para a decisão final. Para que isso ocorresse, eram necessários, pelo menos, 342 votos a favor do afastamento.

Aberta às 14h pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a sessão que durou exatamente 9 horas e 47 minutos, começou com a leitura dos principais pontos favoráveis ao impedimento da presidente, pelo relator do processo na Comissão Especial do Impeachment, deputado Jovair Arantes (PTB-GO).

Além de Arantes, os 25 líderes de partidos representados na Casa também tiverem direito a falar, tendo cada um entre 3 e 10 minutos para suas considerações e orientar a bancada. Duas horas após o início da sessão, com 504 deputados presentes em plenário, a Câmara abriu bruno araujoa votação.

Às 23h08, pouco mais de 40 minutos antes do fim da sessão, o voto do deputado Bruno Araújo (PSDB-PE) completou os 342 necessários para a autorização do processo.

Conforme determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), a votação seguiu conforme o regimento interno da Câmara com chamada alternada de deputados da Região Norte para a Sul. Em cada estado, a chamada foi nominal por ordem alfabética.

O processo agora está na mão dos senadores poderão manter a decisão dos deputados e instaurar o processo ou arquivar as investigações, sem analisar o mérito das denúncias.

Comentários

comentários

Deixe uma resposta