6O Exame Nacional do Ensino Médio é um modelo de educação,em que todos os conhecimentos adquiridos ao longo de aproximadamente 13 anos de escolaridade, de 4 a 17 anos, são avaliados em apenas um exame.Os alunos são testados em dois dias exaustivos para a decisão de um futuro. Isso é resultado de um sistema falho, que acha ser possível avaliar algo em dois dias de prova de muito estresse e tensão.
O resultado disso: acúmulo de cansaço, esquecimento, desmaio e até morte neste ano. Isso mesmo, morte. Segundo o site UOL, em Olinda (PE), a candidata Edvânia Florinda de Assis, 31, morreu minutos depois de entrar no Colégio Santa Emília, no bairro de Jardim Atlântico, onde realizaria a prova. Segundo laudo do IML (Instituto Médico Legal), ela foi vítima de um edema agudo pulmonar. Não necessariamente o edema foi ocasionado pelo ENEM, porém, o nível de estresse elevado em um paciente portador da doença pode potencializar a gravidade da mesma.
Já em São Paulo, um candidato de 34 anos desmaiou na escadaria de um colégio, por não ter conseguido entrar na instituição a tempo de fazer a prova do ENEM. Eliésio Pereira Júnior correu mas chegou com alguns segundos de atraso e foi barrado na portaria. Socorrido por enfermeiras do colégio foi comprovado que sua pressão estava baixa. Pouco tempo depois o candidato foi reanimado e voltou ao normal.
O ENEM não ficou de fora das redes sociais. Com a febre que estamos vivendo de postar toda a nossa vida, elas foram monitoradas para a fiscalização dos alunos. Fora isso,o esquecimento de canetas na cor correta, de documentos originais com foto e atrasos que são constantes todos os anos, foram fatores latentes no exame.

Para fazer um exame de extrema relevância como o ENEM é necessária muita responsabilidade, porém, por causa do nervosismo, erros cruciais7 são cometidos. O exame,muitas vezes, define o futuro de jovens e adultos interessados em ingressar em uma universidade, entretanto, não é um curso preparatório feito em um ano que vai garantir sua boa pontuação. Todo o processo de aprendizagem é iniciado desde a educação infantil até o ensino médio. Se o jovem não tem o hábito de estudo, não será no 3º ano do ensino médio que o mesmo será adquirido. É preciso uma disciplina de estudo e uma visão multidisciplinar das matérias. O objetivo do ENEM é fazer com que os alunos leiam e não apenas decorem fórmulas sem saber usá-las. Através da leitura é possível desencadear ideias que solucionam, muitas vezes, as questões da prova.
Para isso, é indispensável muita leitura, não só de livros didáticos, mas de jornais, revistas, sites, que possibilitem uma visão mais abrangente, além do conhecimento adquirido e do vocabulário. Com todas essas medidas o ENEM se torna apenas uma consequência de um ciclo de estudos e não a causa de um futuro. Mas para que isso ocorra, hábitos e conceitos precisam ser mudados. Isso serve tanto para o sistema educacional brasileiro, no caso das escolas públicas e privadas, quanto para os alunos. Um sistema que valorize o estudante desde o seu ingresso até a sua saída da escola, com aulas dinâmicas inseridas em um contexto interativo e não monótono. Assim os alunos focarão sua atenção no professor e não no celular.
2É triste sabermos de histórias de jovens desmaiando, passando mal e morrendo e o INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) não tomar nenhuma medida para que isso não ocorra mais vezes. Se o sistema não faz a sua parte, nós devemos fazê-la, alertando aos nossos jovens desde cedo sobre a importância da educação desde pequenos, caso contrário o resultado disso será prejudicial para eles próprios.

 Texto escrito por – Natalia Machado

      Fotos – Internet

 

Comentários

comentários

Deixe uma resposta