O  prefeito Neilton Mulim recebeu o secretário de Educação de São Gonçalo, Cláudio Mendonça, e as coordenadoras dos principais programas educacionais que estão sendo implantados no município  na tarde desta quinta-feira, dia 12 de fevereiro, e duas alunas também participaram para relatar suas experiências.

Segundo Neilton, ” os  projetos mudarão não somente a vida dos alunos, mas de todos que os cercam e que com certeza vão refletir em mudanças para o nosso município no futuro”

Os frutos do empenho da equipe da educação ja deram frutos. A aluna  Gabriela Ferreira Soares,14 anos,  que é aluna da Escola Municipal Almirante Alfredo Carlos Soares Dutra, em Alcântara, moradora do bairro Itaúna, no Complexo do Salgueiro, participante do projeto ” De olho no futuro”  foi aprovada para o Colégio Pedro II com a segunda melhor nota em redação entre todos os candidatos. Esse projeto visa oferecer para alunos  do 9º ano da rede pública municipal, oferecendo curso preparatório intensivo para concursos em escolas técnicas e militares. Gabriela  foi uma das que frequentou as aulas ministradas durante quatro horas nas manhãs de sábado, com conteúdo focado em produção de texto e problemas matemáticos, com material didático baseado nas provas que serão aplicadas aos candidatos. Além disso, a Prefeitura de São Gonçalo, através da secretaria municipal de Educação, paga a taxa de inscrição do candidato, oferece lanche e transporte de ida e volta no dia da seleção.

Foi  apresentado ao Prefeito Neilton pela  coordenadora municipal de leitura Isabel Tubino, que é doutora em linguística e coordenadora do Comitê do Programa Nacional de Incentivo à Leitura (Proler) em São Gonçalo, anunciou o I Salão Municipal do Livro, que será realizado dos dias 10 a 12 de março e já tem presenças confirmadas do cartunista Maurício de Sousa, da escritora Thalita Rebouças e do escritor e cartunista Ziraldo.

A coordenadora de Educação Integral, Shrilei Victorino, falou sobre o programa “Mãos Dadas” – que tem o objetivo de potencializar o espaço educativo oferecendo atividades no contra turno que atraiam os estudantes. A intenção do projeto  é a de encontrar educadores sociais no entorno de cada escola para que eles possam realizar as oficinas próximo de onde moram. Isso vai facilitar a aproximação e a identificação entre os alunos, um modelo de educação que não significa  horário integral, e sim educação ampla, ressaltou o secretário de Educação, Cláudio Mendonça.

Claudio  de Educação também falou sobre o programa “A hora da virada”, que é voltado para estudantes com repetência de dois a três anos, ele tem o objetivo de oferecer aos alunos a oportunidade de recuperar o tempo perdido.

Comentários

comentários

Deixe uma resposta